Toda a acusação a Rui Pinto

O MP imputou ao pirata informático 147 crimes. Para além das intrusões e tentativa de extorsão, a PJ encontrou nos discos rígidos que lhe foram apreendidos documentos sobre os mais importantes casos da justiça portuguesa - incluindo o seu. Procuradores pedem que continue em prisão preventiva

Sporting, Doyen, Federação Portuguesa de Futebol, Sociedade de Advogados PLMJ, Procuradoria Geral da República e Departamento Central de Investigação e Acção Penal. De acordo com a acusação do Ministério Público, a que a SÁBADO teve acesso, entre 2015 e 2019 o pirata informático Rui Pinto devassou os sistemas informáticos e de email destas instituições através de inúmeros programas encontrados nos seus computadores e discos rígidos apreendidos na Hungria. A documentação foi divulgada no site Football Leaks mas também no blogue Mercado de Benfica, cuja autoria o MP atribui a Rui Pinto.

Entre os ofendidos estão os antigos presidente e treinador do Sporting, Bruno de Carvalho e Jorge Jesus, o vice-presidente do PSD Nuno Morais Sarmento, José Miguel Júdice e Luís Pais Antunes, todos os advogados da PLMJ, o ex-diretor do DCIAP Amadeu Guerra, entre muitos outros.

Nos equipamentos apreendidos a Rui Pinto foram também encontrados ficheiros com anotações sobre cada uma das instituições alvo de pirataria informática e também apontamentos que referem que o consórcio internacional de jornalistas poderá ter pago várias despesas do hacker e ter-lhe dado direito de veto sobre as notícias a publicar.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais