As explicações do filho de Manuel Salgado em defesa do pai

As explicações do filho de Manuel Salgado em defesa do pai
Margarida Davim 04 de maio

"Foi para a CML para enriquecer? Então porque é que só ficou mais pobre? Por que é deixou de fazer férias de barco nas Caraíbas e no Mediterrâneo e passou a alugar casa no Alvor (bem bom, atenção!)? Porque é que tem menos agora do que tinha antes?", pergunta Sebastião Salgado numa carta que circula pelas redes sociais.

"The People versus Manuel Salgado" é a carta que o filho mais novo do ex-vereador da Câmara de Lisboa escreveu para expor o que considera serem as fragilidades de algumas das acusações que são imputadas ao pai nas investigações em que é suspeito. No documento que circula pelas redes sociais e a que SÁBADO teve acesso, Sebastião Salgado entra em pormenores sobre os processos de licenciamento da ampliação do Hospital da Luz e da Torre de Picoas e conclui com perguntas. "Se a teoria é de que o meu pai é corrupto, onde está o dinheiro?", questiona.

"O meu pai trabalhou como arquiteto durante quarenta anos. Fez vários projetos importantes em Portugal e no estrangeiro, até que em 2007 abdicou da carreira no privado para cumprir um sonho: deixar a sua marca na cidade de Lisboa. É legítimo questionar aquele sonho e os seus resultados práticos. Mas custa-me ver a indiferença com que se questiona a motivação do mesmo", escreve Sebastião Salgado, ao mesmo tempo que assegura que Manuel Salgado não saiu privilegiado dos 14 anos em que foi considerado o homem com mais poder na Câmara da capital.

"Foi para a Câmara Municipal de Lisboa (CML) para enriquecer? Então por que é que só ficou mais pobre? Por que é deixou de fazer férias de barco nas Caraíbas e no Mediterrâneo e passou a alugar casa no Alvor (bem bom, atenção!)? Por que é que tem menos agora do que tinha antes?", começa por atirar o filho do ex-vereador do Urbanismo e responsável pela SRU, que é também primo de Ricardo Salgado, o antigo homem forte do BES.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais