Pequeno guia do grande devedor ao Novo Banco

Pequeno guia do grande devedor ao Novo Banco
Bruno Faria Lopes 31 de maio de 2021

Como a vontade inicial de “esclarecer tudo” perante os deputados deu lugar a um fio comum de fuga, vitimização e atribuição de culpa - aos outros.

João Gama Leão contou como Ricardo Salgado o convidou para almoçar e lhe disse que a família Espírito Santo não esquecia quem fazia bem por ela. Luís Filipe Vieira revelou a ajuda
do amigo "Rei dos Frangos" numa dívida vendida pelo banco. Bernardo Moniz da Maia foi revelando fundações e empresas em offshores a conta gotas. E Nuno Vasconcellos disse estar no parlamento "por convite". As audições a grandes devedores na comissão de inquérito às perdas do Novo Banco foram todas diferentes, mas em todas os inquiridos passaram pelas mesmas quatro fases: verdade, amnésia, vitimização e ataque. As empresas destes quatro devedores são responsáveis por um calote global superior a 1.500 milhões de euros.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais