Rui Nabeiro, o homem que enfrentou a vida com um sorriso nos lábios

Paulo Barriga 25 de novembro

Foi moço de recados e acabou na lista dos mais ricos de Portugal. Fez fortuna com o contrabando e esteve exilado por dívidas ao fisco. Multiplicou empresas e andou pela política e pelo futebol – o sacrossanto tridente dos homens de poder.

Rui Nabeiro é o único dos multimilionários portugueses que começou verdadeiramente do zero. A partir de Campo Maior, a pequena vila alentejana onde nasceu há 90 anos, erigiu um império, o Delta Cafés, que é hoje cobiçado pelos grandes tubarões internacionais do setor, como a Nestlé ou a PepsiCo. Nunca o quis vender porque, como disse à SÁBADO, ficaria sem o seu único entretenimento: trabalhar.

Leva uma vida frugal: não consegue gastar a semanada de 200 euros que destina a si próprio, mas construiu habitações para os seus trabalhadores e leva-os a viajar. Durante a pandemia, pagou os mais de 3.500 ordenados que dele dependem, sem recorrer ao lay-off, transformou um restaurante de luxo em cantina social e reconverteu uma fábrica de toldos publicitários em unidade de produção de equipamentos de proteção social que distribuiu gratuitamente pelos hospitais, bombeiros e lares de terceira idade do país.

Ao longo de uma vida cheia foi e fez muito mais. Esta biografia em 90 episódios começa pelo fim, pela sucessão. Desliza pelos altos e baixos de uma carreira em que o sucesso se impôs. E acaba com um sorriso: “Quando a vida se encontra com um sorriso, não há dúvida nenhuma que tudo se torna maravilhoso. É isso que falta aos portugueses: saber sorrir.”

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais