Os segredos das festas mais extravagantes em Portugal

Os segredos das festas mais extravagantes em Portugal
Ana Taborda 25 de outubro de 2019

Houve quem contratasse Lionel Ritchie e os Gipsy Kings e quem alugasse cisnes ao Jardim Zoológico. A SÁBADO revela-lhe as histórias mais incríveis e mostra-lhe fotos de algumas das mais exclusivas festas.


O passeio pelo Alqueva ainda ia a meio quando o barco que João Bravo tinha alugado para celebrar os seus 60 anos foi intercetado por uma lancha com seis baywatchers de vuvuzelas, pranchas de salvamento e megafone na mão. Foi assim, em frente aos 200 convidados que seguiam na embarcação de dois andares, que se anunciou o rapto do aniversariante. "Levaram-me preso e tudo", conta o próprio, divertido, enquanto mostra uma fotografia com as mãos algemadas atrás das costas, calções de banho e T-shirt vestidos (o traje de praia foi apenas um dos três que usou durante os festejos).

A encenação das "Bravo’s Watchers" - o nome que as modelos tinham estampado nos fatos de banho preparados de propósito para o evento - fez parte de uma festa que durou três dias e envolveu muitos outros figurantes, DJs, coreografias ensaiadas com dançarinos profissionais, concursos de miss e mister T-shirt molhada, dezenas de animais embalsamados, uma paella gigante e, no fim, algumas desistências. A ideia foi do próprio João Bravo, para celebrar os seus 60 anos, e não terá havido muitas festas como esta nos últimos tempos.

Os convidados começaram a chegar à Herdade Vale do Manantio, em Moura, na sexta-feira, 11 de setembro de 2015, para a primeira parte da festa - a noite das sevilhanas. Já estavam todos no relvado a perguntar onde andava o Bico (o petit nom de João Bravo entre os amigos) quando o dono da empresa de helicópteros Helibravo apareceu vestido de toureiro numa charrete puxada por dois cavalos, ao som do "eu sou torero", da ópera Carmen. "Quando viram a charrete entrar por ali foi a loucura. Ninguém sabia", conta João Bravo à SÁBADO. "Veio um grupo de Sevilha de propósito para o evento, o catering teve uma paella para 200 pessoas e estava tudo vestido a rigor. Na primeira noite deitámo-nos às 7h da manhã, já era de dia", conta Teresa Campos Henriques, que organizou a festa com o marido João Pedro Henriques.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais