Cultura

As novas humoristas: saltar da comunicação para a comédia

Aparecem menos na televisão, mas já não estão em menor número. Há cada vez mais mulheres no humor. São elas que dão piada a Ricardo Araújo Pereira ou que enchem salas de stand-up comedy. Só não podem (ainda) levar uma minissaia.

Não há humor masculino ou feminino. Isso são invenções." Quem o diz é a veterana Maria João Cruz. Pode não reconhecer o nome, mas de certeza que já se riu com os textos que a guionista escreve há cerca de 30 anos - para Herman José, Maria Rueff, Ana Bola e para programas como DDT, Estado de Graça e tantos outros. Também descobriu muitos dos novos talentos do humor.

"Para mim nunca é uma ameaça. É sangue fresco e é bom que apareçam pessoas com novas abordagens ao humor e à escrita", diz. A SÁBADO apresenta-lhe seis mulheres que fazem da comédia a sua profissão.

Joana Gama
Entrar em pânico
Não pode ficar relaxada, caso contrário o espetáculo corre mal. Por isso, já chegou ao ponto de nos bastidores começar a dizer para si mesma: "Sou uma merda." Joana Gama, 34 anos, formada em Comunicação Social, começou a carreira como locutora na Mega FM, em 2007, mas notou que era diferente dos outros apresentadores. "O meu principal foco era fazer rir as pessoas."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais