Paula Cordeiro
Paula Cordeiro
Urbanista

O que falhou, para a sociedade aqui chegar?

Se aqui, mudar de cidade fosse equivalente a mudar de Boston para Chicago ou de Chicago para Filadélfia, a tendência seria a mesma. Impede-nos a dimensão e o espaço, o ordenado e a possibilidade de sair e não encontrar mais nada porque, afinal, não somos assim tantos, mas somos muitos a procurar o mesmo: uma vida confortável, estável mas não demasiado rotineira.

Urbanista

Na era da hipervigilância, vou desaparecer do mapa

As fotos que tiramos têm a localização associada e precisamos fechar completamente os canais de acesso para nos protegermos. Tal não é possível nos dispositivos modernos que a maior parte das pessoas utiliza. A favor da conveniência, facilidade, conexão. Além de nos fornecerem a informação que procuramos, resta saber o que fazem estas empresas com esses dados.

Urbanista

Larga isso

Retiramos-lhes os direitos adquiridos no momento em que facilitámos e lhes entregámos um dispositivo móvel para estarem entretidos enquanto fazíamos as compras do mês, esperávamos o jantar no restaurante da moda ou precisávamos mesmo de uns minutos com a criança semi adormecida pelo brilho e movimento atrás do ecrã?

Urbanista

Eles sabem mais do que nós (e esquecemo-nos disso)

A diferença entre gerações sempre existiu e foi invariavelmente o motor da evolução socio-cultural. Hoje não se caracteriza pela rebeldia da música rock, antes por uma enorme indefinição identitária que mistura género e estilos, tribos e gostos, sem com isso criar algo melhor do que aquilo que nós – os que estão ali na encruzilhada da geração X e dos Millenials – tivemos.

Urbanista

Quem sou eu?

Quem sou eu é a pergunta que raramente nos colocamos e que importa fazer porque, na voracidade dos tempos modernos, parece que não sobra tempo para pensar. Lutámos tanto pelo tempo de lazer e acabámos confrontados com a ausência de tempo e espaço  para descobrirmos quem somos.

Urbanista

(A)normalmente Normal

Longe de defender o retrocesso, especialmente da emancipação feminina que os electrodomésticos e os serviços diversos vieram permitir, defendo, contudo, uma pausa para pensarmos naquilo de que podemos abdicar, a favor de aqui continuarmos por mais uns tempos.

Ver mais
A Newsletter SÁBADO É TODOS OS DIAS no seu e-mail
NEWSLETTER EXCLUSIVA PARA ASSINANTES O resumo das notícias pela redação da SÁBADO, sempre ao início da manhã. (Enviada de segunda a sexta)