Venezuela: Dias Loureiro e António Vitorino sob suspeita

Os dois barões do PSD e PS são diretamente apontados numa investigação espanhola a suspeitas de corrupção com a empresa petrolífera venezuelana. A SÁBADO teve acesso a toda a investigação.


O processo judicial sobre um roubo milionário de 35 milhões à empresa petrolífera da Venezuela que chamusca dois velhos barões da política portuguesa é uma espécie de boneca russa. Quando se puxa o nome do histórico político e diplomata espanhol, Raúl Morodo, personagem principal da trama, fica à vista o do filho Alejo e da nora Ana Catarina Varandas Loureiro, filha do ex-ministro do PSD Dias Loureiro. Mas quando se tira a filha, aparece uma sociedade do pai, a DL-Gestão e Consultoria. Por fim, também lá está uma sociedade – a Emab-Consultores, do ex-ministro socialista António Vitorino e da mulher, Beatriz Carneiro. A investigação iniciada em 2017 e que colocou na linha de fogo dois dos mais influentes políticos portugueses, que há mais de três décadas movimentam o seu enorme poder nos bastidores do PS e PSD, tem todos os ingredientes de uma novela: poder, dinheiro, jet set e morte. Está tudo nos documentos do processo, a que a SÁBADO teve acesso integral.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais