João Pereira Coutinho
João Pereira Coutinho Politólogo, escritor
20.05.2022

Contribuições para a paz

Nas últimas autárquicas, os motoristas lisboetas não estavam contentes. Pelo contrário: sempre que eu pronunciava o nome de Fernando Medina, eles puxavam pelo crucifixo e prometiam espetar-lhe uma estaca no coração. De olhos vidrados e espuma no canto da boca, repetiam maquinalmente: “Ciclovias! Ciclovias!”

13.05.2022

Brasileirismos

O Brasil vai escolher entre Lula e Bolsonaro. Eu levanto os olhos para o céu e interrogo: “Mas não serás Tu argentino?” De um lado, um admirador confesso de Putin. Do outro, alguém que considera Zelensky tão responsável pela guerra na Ucrânia quanto o carniceiro de Moscovo.

06.05.2022

Pornografias

Estou com os “pacifistas”. Quer a Sra. Inna Ohnivets, quer o Sr. Maksym Tarkivskyy deviam aplaudir o PCP e, já agora, descer a avenida com os camaradas. Só para provarem que nada têm a ver com o poder “xenófobo e belicista”, “rodeado de nazis”, que o PCP afirma existir em Kiev.

29.04.2022

Invasões bárbaras

Jerónimo recusa-se a falar em “invasão” russa da Ucrânia – e, no entanto, não existe ser pensante que não veja essa invasão, que não saiba dessa invasão, que não comente essa invasão, que não lamente essa invasão.

22.04.2022

Dissonâncias cognitivas

Como um Joselito pandémico, a Directora-Geral da Saúde continua a tentar arranhar os velhos temas. Alguém devia informar a dra. Graça Freitas que o fim da pandemia não é o fim do mundo. Há mais vida para além dos holofotes.

15.04.2022

Os extremos tocam-se

Concordo com a ideia [de Santos Silva de que “Não há atribuições de culpa colectiva em Portugal”]. E concordo porque sempre fui um individualista impenitente. Não sei o que são os ciganos. Nem os negros. Nem os brancos. Nem os gays. Nem as mulheres. Nem o diabo a quatro.

08.04.2022

Pacifistas, generais e cavernícolas

Por esta altura, já devia haver uma “terceira via” para que os brasileiros não fiquem entregues a dois cavernícolas. Mas em quatro anos o mesmo Brasil que disse cobras e lagartos de Bolsonaro foi incapaz de gerar um nome consensual para que a normalidade regresse ao país. Não há milagres.

01.04.2022

Carecas de saber

O caso não mostra apenas a falência do “patriarcado”; mostra a falência do igualitarismo como ideal. Desde quando uma mulher progressista precisa de um homem para a defender? Se a sra. Jada Pinkett Smith entendia que Chris Rock estava a levantar muito cabelo (digamos assim), devia ter sido ela a subir ao palco.

25.03.2022

Espaços vitais

A Ucrânia, que se saiba, nunca passou um cheque de 9 milhões de euros ao partido da sra. Le Pen. Já a Rússia teve outra generosidade, talvez por ver em Le Pen a sua lança em África. Ou, melhor dizendo, em França.

18.03.2022

Ranger de dentes

Daqui a uns anos saberemos se as decisões do Governo de Zelensky foram as mais acertadas face ao invasor russo. Mas uma coisa sabemos desde já: as claques que se expressam por aí a favor da capitulação ucraniana são apenas politicamente penosas – e sem um talento literário que as redima.

11.03.2022

A dança das cadeiras

Na dança das cadeiras, Putin imagina-se no século XIX, ao lado de Alexandre I. Ou talvez recue um pouco mais nos séculos para se ombrear com Ivan, o Terrível. Em qualquer dos casos, há uma cadeira eterna onde ele se quer sentar, esma- gando no processo qualquer transfor- mação histórica entretanto registada

04.03.2022

A carteira e os princípios

É possível olhar para Putin sob todos os ângulos: político, histórico, ideológico, geoestratégico. Mas, aqui e ali, lá vem a pergunta fatal: será que o homem enlouqueceu? A confirmar-se o diagnóstico, talvez o principal contributo militar de Portugal não fosse enviar equipamento para a Ucrânia, mas o almirante Gouveia e Melo para Moscovo.

A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana