Eduardo Dâmaso
Eduardo Dâmaso

Sou jornalista desde 1981 e assumi o cargo de director da revista Sábado em abril de 2017. Até aqui, exerci cargos de direcção no Correio da Manhã, Diário de Notícias e Público. Trabalhei ainda no Expresso e nas agências noticiosas Anop e Lusa, mas antes de tudo isso comecei a carreira no jornal regional "O Setubalense", passei pela Rádio Universidade de Coimbra. Também andei pelas televisões a comentar temas de política e justiça. Escrevi um livro de investigação jornalística intitulado "A Invasão Spinolista", que foi distinguido em 1996 com o prémio de reportagem Ler/Círculo de Leitores.  Depois também escrevi o "Portugal, que Futuro", com Henrique Medina Carreira, em 2009, e dez anos depois, em 2019, publiquei o livro ‘Corrupção – Breve História de um Crime que Nunca Existiu’.

Uma das investigações jornalísticas que fiz nos anos 90, levando à demissão de um vice-presidente do grupo parlamentar do PSD, originou um célebre acórdão do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos – ‘Campos Dâmaso contra Portugal’ – que fixou jurisprudência em matéria de prevalência do interesse público sobre o segredo de justiça e a reputação de terceiros.

 

27.01.2023

Tutti-Frutti, a fruta do Bloco Central

Exclusivo

Por aquilo que se sabe até agora, nos processos da câmara, Fernando Medina pode, eventualmente, nunca vir a ser constituído arguido, quanto mais pronunciado e julgado. Coisa diferente poderá ser a situação de outros membros do Governo, mas também de dirigentes do PSD.

20.01.2023

Onde está a fábrica do populismo?

Exclusivo

Os boys do PS e os grandes senhores do dinheiro e da influência mandam muito mais do que ele. António Costa deve estar ansioso por uma crise política que lhe permita sair com dignidade e viajar para Bruxelas, onde é respeitado e elogiado.

13.01.2023

A casta

Exclusivo

Este ciclo do PS de António Costa não é comparável ao de Sócrates, que instituiu uma forma delinquente de gestão do Estado e do Governo ao mais alto nível; que vendeu Portugal e empresas como a PT a pataco; nem sequer com o governo de Durão Barroso.

06.01.2023

O inimigo está entre eles

Exclusivo

Os partidos, a sua máquina, vulgo “aparelho”, controlam hoje tudo e impõem os seus critérios de enorme volatilidade, dependendo dos interesses do momento. Por isso, contratam e nomeiam em função dos interesses alinhados em cada ciclo político ou dos grupos mais restritos, constituídos em redor de personalidades dominantes.

30.12.2022

A indemnização milionária

Exclusivo

Este não é um “casinho”. É um episódio grave que subverte a imagem do governo perante a opinião pública e que lhe coloca a obrigação democrática de esclarecer tudo, sem subterfúgios e sem o recurso ao rolo compressor da maioria absoluta.

23.12.2022

Manuel Pinho, um exercício de memória

Exclusivo

Não será inédito, em quase 50 anos de democracia e em muitos de ditadura, um ministro ser assalariado de um grupo económico. Mas Pinho foi descoberto, com prova fumegante, num governo em que o próprio primeiro-ministro mercadejou com o cargo a favor do mesmo Salgado.

16.12.2022

Corrupção, quem vier atrás que feche a porta

Exclusivo

O País real, endividado, precário, sem casa, sem futuro para os filhos, sem influência política, ou que fica alagado de cada vez que chove um pouco mais, está lá. Esteve sempre lá. Nunca deixou de existir e não há exaltação patrioteira em torno do futebol que o apague

09.12.2022

Jornalismo, os poderes parasitários

Exclusivo

Predomina em alguns meios jornalísticos a ambição de instrumentalizar o jornalismo ao serviço de combates ideológicos e agendas partidárias, habitualmente vestidos pela defesa dos direitos humanos.

02.12.2022

A cartilha da vítima

Exclusivo

Seria bom que todos percebessem que são estes os caminhos crepusculares da própria democracia. Se é por aí que querem ir, tenham, ao menos, o decoro de nos poupar à cantilena do populismo, da extrema-direita e dos papões do costume. Já somos crescidinhos para perceber o que está em causa.

25.11.2022

Dos maus casos não reza a História

Exclusivo

António Costa, o Governo e o seu partido poderiam dar agora um enorme contributo na construção do Estado de direito se percebessem que, apesar de a vitimização ser uma tentadora arma política, dos maus casos não reza a História.

18.11.2022

Justiça lenta e calada

Exclusivo

Com o caso de Miguel Alves, mas sobretudo com os que estão congelados no DIAP de Lisboa, envolvendo os ministros Fernando Medina e Duarte Cordeiro, o que vemos é um Ministério Público adormecido, sem liderança, sem uma cultura de trabalho orientada para a execução e finalização dos inquéritos

11.11.2022

Tolos e ovelhas

Exclusivo

Miguel Alves representa, afinal, o mesmo que todos os presidentes da câmara ou todos os boys aparelhistas, do PS e do PSD, que têm tido uma relação habilidosa, digamos assim, com as regras da contratação pública e de exercício de funções públicas.

A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana