Ordem dos Médicos instaura processo disciplinar contra médico negacionista em Coimbra

Ordem dos Médicos instaura processo disciplinar contra médico negacionista em Coimbra
SÁBADO 16 de outubro de 2021
As mais lidas

Diogo Cabrita alega que a vacina contra a covid-19 pode provocar "AVC, enfarte e trombose" em jovens. Em vídeo, lançou suspeitas sobre a morte da atriz Maria João Abreu. Nas últimas autárquicas foi candidato de coligação do PSD e CDS a uma junta de freguesia de Coimbra.

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (OM) instaurou um processo disciplinar contra o médico negacionista Diogo Cabrita, que trabalha no Hospital dos Covões, em Coimbra, avança o Observador. Fundador da associação Aliança Pela Saúde Portugal, fez em maio uma caminhada de Coimbra a Lisboa em protesto contra a inoculação da vacina contra a covid-19 em jovens, alegando que estes correm risco de AVC ao serem vacinados. OM está agora a deliberar se se pode "consubstanciar a prática de infração disciplinar".

Diogo Cabrita
Diogo Cabrita Facebook

Durante a "Marcha pelas Crianças", iniciada a 13 de maio, Diogo Cabrita afirma num vídeo partilhado na página do movimento que a vacina contra a covid-19 é "experimental" e que pode provocar em jovens "um AVC, um enfarte do miocárdio, uma trombose venosa profunda".

Mais tarde, ao quarto dia de marcha até Lisboa, Diogo Cabrita levantou suspeitas sobre a morte da atriz Maria João Abreu estar relacionada com a vacina contra a covid-19: Por que não fica claro se a Maria João [Abreu], a atriz, foi ou não vacinada? Ela teve a doença, houve informações de que foi vacinada, e a seguir há um caso brutal. Eu não sei se a vacina teve a ver, acho que significa qualquer coisa quando estamos a sonegar informação", diz.

O médico negacionista diz ainda que os jovens estão "adormecidos" e questiona como um médico de 25 anos "caminha para uma vacina experimental", comparando a decisão a "Treblinka [campo de concentração na Polónia]" e à "caminhada dos judeus para os fornos crematórios".

Na mesma "Marcha pelas Crianças", Diogo Cabrita esteve acompanhado pelo juiz negacionista Rui Castro, entretanto demitido pelo Conselho Superior da Magistratura, e por Margarida Oliveira, uma das fundadoras da organização Médicos pelas Verdade e suspensa por seis meses pela Ordem dos Médicos.

Médico negacionista foi candidato pelo PS em 2013 e pelo PSD nas Autárquicas de 2021

Com 60 anos, Diogo Cabrita é cirurgião geral desde 2003 no Hospital dos Covões, mas a sua carreira na política nasceu antes da criação da associação Aliança Pela Saúde Portugal.

Em 2013 foi o candidato autárquico do PS à Câmara Municipal de Valença, no distrito de Viana do Castelo, devido às ligações familiares com o município, tendo estado ligado aos socialistas desde 1991. Perdeu, para o PSD, mas permaneceu como vereador até 2016, sendo também membro da Assembleia de Representantes da Ordem dos Médicos desde 2019.

 

Em 2021, as cores mudaram. Diogo Cabrita foi, nas autárquicas de setembro deste ano, candidato à união das freguesias de São Martinho do Bispo e Ribeira de Frades, em Coimbra, pela coligação do PSD com o CDS, o Nós, Cidadãos!, o RIR, o Aliança e o PPM. Apesar da vitória de José Manuel Silva no concelho, Cabrita voltou a perder, desta vez para o PS, por mais de mil votos de diferença.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais