2 famílias com 8 empresas de espaços verdes ganharam 370 contratos

2 famílias com 8 empresas de espaços verdes ganharam 370 contratos
Marco Alves 11 de dezembro de 2020

Os Alhos e os Montes criaram várias empresas com o mesmo objeto social (manutenção de espaços verdes) e alternaram entre elas centenas de adjudicações em Lisboa. Há contratos onde foram “concorrentes” umas das outras.

No dia 25 de junho de 2018, o presidente da Junta de Freguesia do Areeiro (Lisboa), Fernando Braamcamp (PSD), assinou um contrato de quatro meses para manutenção de espaços verdes por €71.970. A empresa escolhida foi a Alfaia Verde depois de a junta ter feito uma consulta prévia ao mercado. De acordo com a informação disponível no Portal Base, além da Alfaia Verde, a junta convidou a Momentos Floridos e a Lx Garden a apresentarem propostas. Só que as três empresas não eram concorrentes: elas são detidas por Fernando, Maria e João Alho (pai, mãe e filho).

Além das empresas puramente familiares, os Alho (Fernando, Maria, João, Leonor, António e Carlos) misturam-se com a família Montes (Daniel, António, Raquel e Eduarda) em várias firmas de manutenção de espaços verdes. Quando a SÁBADO ligou para uma das empresas dos Montes (a Trevo, com sede em Beja), a funcionária pediu para falarmos com João Alho.

Ao todo, as duas famílias têm oito empresas que, desde 2009, conseguiram 371 contratos com o Estado num total de €27 milhões. A maioria (250 contratos, €20,7 milhões) com algumas juntas de freguesia de Lisboa, com a Câmara Municipal de Lisboa, a Câmara Municipal de Oeiras e o IPDJ. Desses 250 contratos, 195 (78%) foram por ajuste direto.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais