Cibercrime

Pandemia informática. "Investir na cibersegurança é como ter um seguro de saúde", avisam peritos Exclusivo

Rita Bertrand 08 de fevereiro

A Covid potenciou uma pandemia informática, que agora afetou a Vodafone e, segundo os especialistas, “vai continuar". É preciso mudar mentalidades para a combater e, sobretudo, investimento, afirmam Hugo Costeira e Vítor Domingos.

Há quase 24 horas, a Vodafone Portugal foi alvo de um ataque informático que afetou vários serviços que a operadora presta aos seus clientes particulares e impediu o funcionamento normal das comunicações do INEM e dos bombeiros, o serviço da rede Multibanco e da EMEL. Vítor Domingos, a trabalhar em cloud-computing na KPMG, no Reino Unido, e perito em sistemas informáticos, não tem dúvidas: "Para qualquer empresa, e também para o Estado, investir na cibersegurança não é uma despesa dispensável, é como ter um seguro de saúde. Claro que ter um seguro não impede que um acidente nos aconteça, mas dá-nos uma maneira melhor de lidar com ele, prevenindo eventuais gastos mais avultados."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais