“O prazer sexual é um direito básico”

“O prazer sexual  é um direito básico”
Vanda Marques 31 de maio de 2020

Pedro Nobre, diretor do SexLab, presidente da Associação mundial de saúde sexual, defende que o último tabu da sexualidade é o prazer


Os mitos são muitos e persistem. Por exemplo, o sexo é apenas coito, a mulher não tem tanto prazer como o homem e ele está sempre disponível.?Ou até que o fim do desejo sexual espontâneo é sinal que a relação está por um fio. Tome nota: numa relação longa o espontâneo é substituído pelo responsivo. Ou seja, o desejo sexual constrói-se. Um dos pontos que pode ajudar a melhorar a sexualidade é reclamarmos o direito ao prazer sexual. Pedro Nobre, investigador e diretor do SexLab, da Universidade do Porto, desfaz esses mitos e revela que estão neste momento a iniciar um estudo sobre o impacto da covid-19 na vida dos casais.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais