Quando Isaltino Morais foi perseguido por uma assessora

Quando Isaltino Morais foi perseguido por uma assessora
Marco Alves 14 de julho

Um affair nascido nas Autárquicas 2017 deu origem a uma zanga e depois a um cerco. Ofensas, blogs e perfis falsos no Facebook, SMS obscenos, pneus furados, bofetadas, muitas calúnias e uma bala. SÁBADO consultou processo que teve desfecho há poucas semanas

Às 10h58 do dia 15 de fevereiro de 2018, Isaltino Morais leu no seu telemóvel a primeira de dezenas de mensagens que viria a receber nos quatro meses seguintes: "Andaste a comer a * ? A * confirmou que sim, e agora? É a * ou a * ?" Por razões óbvias (privacidade, irrelevância e possível falsidade), a SÁBADO opta por colocar asteriscos no nome destas mulheres, mas para o presidente da Câmara Municipal de Oeiras (CMO) era tudo menos óbvio o que estava prestes a acontecer-lhe.

A 3 de março, outra SMS de outro número: "A Dora [filha de Isaltino Morais] já está debaixo do olho da PJ prepotente de merda. Ladrão corrupto." O ataque continuou. Dia 8: "É melhor deixares de ser prepotente porque senão lixamos-te mesmo. Não temos medo de ti. Zero! Temos muita merda tua bem guardada, aldrabão do c*****o."

De 15 de fevereiro a 26 de junho de 2018, Isaltino foi chamado de tudo em mensagens recebidas de 19 números de telemóvel. Um massacre a qualquer hora do dia, da noite e até da madrugada: "prepotente de merda", "corrupto fora da lei", "mafioso", "aldrabão", "putanheiro", "pulha", "chulo de merda", "ressabiado", "ladrão", "filho de uma grande p*ta", "porco de merda", "compraste a casa com o dinheiro do caju", "cobarde do c*****o", "pensas que compras tudo e todas", "não vales nada", "rato", "a PJ já sabe que andas a esconder €€€€ de negócios em África", "porco nojento do c*****o", "maçon de merda", "não te esqueças dos envelopes com notas não sequenciais…", "filho da puta do c*****o", "velho chico esperto", "cara de pau", "velho do c*****o", "não vales uma c**a mole", "toda a gente conhece os teus esquemas", "já voltaste a meter ao bolso", "e logo tu que tens 1001 amantes", "não prestas", monte de merda", "gordo que nem um porco", "passa cá em cima que é para levares no focinho", "mete os charutos no cu porco de merda" e "toma lá para não teres a mania que és espeto, oh Isaltino."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais