Luís Filipe Vieira pode ficar em preventiva. Ministério Público sublinha "gravidade dos crimes"

Luís Filipe Vieira pode ficar em preventiva. Ministério Público sublinha 'gravidade dos crimes'
Ana Bela Ferreira 07 de julho

Comunicado indica que Luís Filipe Vieira, o filho, o empresário José António dos Santos e o empresário desportivo Bruno Macedo podem já ser ouvidos amanhã.

O Ministério Público (MP) vai pedir medidas de coação agravadas para Luís Filipe Vieira e os restantes três detidos esta quarta-feira, por suspeitas de crimes, como abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento.

Em comunicado, o MP refere que "os detidos serão presentes, previsivelmente no decurso do dia de amanhã, a primeiro interrogatório judicial com vista à aplicação, considerando a gravidade dos crimes e as exigências cautelares, de medidas coação diferentes do termo de identidade e residência." Ou seja, os procuradores vão descartar a medida de coação mais leve. Ficando em aberto o possível pedido de prisão preventiva.

Isto porque, o MP considera que estas detenções permitem "acautelar a prova, evitar ausências de arguidos e a prevenir a consumação de atuações suspeitas em curso".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais