Espiões chineses apanhados em Fátima

Espiões chineses apanhados em Fátima
Nuno Tiago Pinto 05 de setembro de 2019

Tentaram boicotar encontro onde esteve chefe de gabinete de Trump. Fotografaram e seguiram pessoas e entraram clandestinamente no local do encontro. MNE está a investigar o caso.

Funcionários da embaixada da China em Lisboa montaram uma operação subversiva para tentar boicotar um encontro de líderes religiosos e políticos em Fátima devido à presença do Bispo emérito de Hong Kong: queriam impedí-lo e a dois outros convidados de falar na reunião da Rede Internacional de Legisladores Católicos, que contou com a presença do chefe de gabinete de Donald Trump, Mik Mulvaney e do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán. Ao longo de vários dias fotografaram os participantes, tentaram entrar à força no encontro, saber o que debatiam e até seguiram alguns dos convidados nas orações feitas na Basílica da Nossa Senhora do Rosário. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais