Denúncias de tráfico de pessoas e escravatura em Odemira investigadas pela PJ

De acordo com o Público, a PJ está neste momento em fase de recolha de prova. Associação que apoia imigrantes diz já ter apresentado queixas em anos anteriores.

Na sequência de várias queixas, a Polícia Judiciária está a investigar a existência de crimes de tráfico de pessoas, auxilio à imigração ilegal e escravatura na zona de Odemira. Segundo o Público, estarão em causa, "aparentemente", pequenas redes. 

Polícia Judiciária
Polícia Judiciária

As denúncias não são inéditas e já há vários anos que a associação Solidariedade Imigrante avançou com queixas relativas a abusos laborais em Odemira. Também ao Público, a associação confirma ter feito queixas sobre tráfico de pessoas, depois de ter sido contactados por trabalhadores que denunciaram que os patrões ficavam com as passwords de acesso ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), sistema a partir do qual é feito o pedido de autorização de residência.

Só em 2020, adiantou a associação de apoio aos imigrantes, foram denunciadas cinco situações. 

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais