"Acontecem homicídios após momentos de stalking"

'Acontecem homicídios após momentos de stalking'
Mariana Branco 30 de janeiro de 2019

O PCP apresentou um projeto de lei que visa proibir os perseguidores de contactarem ou de se aproximarem das vítimas antes da fase de julgamento. Há stalkers que alugam casas em frente ao prédio das vítimas.

O que torna alguém um stalker? Fazer um assédio persistente, que se traduz em formas de comunicação e vigilância constantes, sem que a outra pessoa o deseje ou permita. É crime na lei portuguesa mas, segundo o Código Penal, os tribunais só podem proibir os arguidos de contactar com as vítimas após uma condenação – processo que pode demorar vários anos.

O perseguidor "vai colocar-se à porta do trabalho da vítima, vai persegui-la de automóvel, vai alugar casa em frente ao prédio onde ela alugou casa também", explicou. "Põem papéis na caixa do correio a dizer ‘eu sei a que horas chegaste. Eu sei com quem chegaste a casa’", explica à SÁBADO Daniel Cotrim, da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV). Mas frisou: "Obviamente que ficamos contentes". 

Agora, o PCP apresentou um projeto de lei que visa proibir os perseguidores de contactarem ou de se aproximarem das vítimas antes da fase de julgamento. "Este tipo de decisão só peca por tardia", afirma Cotrim. "Até agora não existe qualquer medida de coação ou de proibição de contacto enquanto a pessoa está efetivamente a ser vítima deste tipo de situações" explicou o psicólogo clínico. "A lei não protege de forma nenhuma a vítima."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais