Trump responsabiliza "incompetência da China" por mortes no mundo

Lusa 20 de maio de 2020
As mais lidas

Há uma semana, o presidente dos EUA ameaçou cortar todas as relações com a China e disse que, de momento, não voltaria a falar com o presidente chinês.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, responsabilizou hoje a "incompetência da China" na gestão da pandemia de covid-19 pelas "mortes em massa no mundo".

Reuters

"Um maluco na China acabou de divulgar uma declaração culpando toda a gente menos a China pelo vírus, que já matou centenas de milhares de pessoas", denunciou hoje Trump, na sua conta pessoal da rede social Twitter, sem dizer a quem se referia.

"Por favor, expliquem a esse lunático que foi ‘a incompetência da China’ e nada mais que causou esse massacre em todo o mundo", escreveu Trump, repetindo uma ideia que tem vindo salientar nas últimas semanas.

Há uma semana, Trump ameaçou cortar todas as relações com a China e disse que, de momento, não voltaria a falar com o Presidente chinês, Xi Jinping, por causa da forma como o país asiático tem lidado com a pandemia que teve origem na cidade de Wuhan.

O Governo chinês alega que se comportou sempre corretamente, desde o início da pandemia, e que transmitiu à Organização Mundial de Saúde (OMS) todos os dados, o mais depressa que foi possível.

Trump também acusa a OMS de estar ao serviço da China, tendo anunciado a suspensão temporária das contribuições financeiras dos EUA a essa agência das Nações Unidas, a quem deu um mês para iniciar reformas e obter resultados significativos.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia do novo coronavírus já matou 325.232 pessoas e infetou mais de 4,9 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, às 19:00 TMG de hoje, baseado em dados oficiais.

Segundo os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, às 19:00 TMG (20:00 de Lisboa) de hoje, 4.943.050 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro passado, na província chinesa de Wuhan.

Contudo, a AFP alerta que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que um grande número de países está a testar apenas os casos que requerem atendimento hospitalar. Entre esses casos, pelo menos 1.827.200 agora são considerados curados.

Desde a contagem realizada às 19:00 TMG de terça-feira, 4.951 novas mortes e 94.820 novos casos ocorreram em todo o mundo.

Os países com mais óbitos nas últimas 24 horas são os Estados Unidos, com 1.404 novas mortes, o Brasil (1.179) e o Reino Unido (363).

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais