Família real: Funeral de Filipe é "oportunidade ideal" para resolver conflitos

Ex-primeiro ministro britânico John Major entende que o momento de partilha de dor pode ser o ideal para resolver os problemas de Harry com a família.

A partilha do luto pela morte do duque de Edimburgo pode ser o momento ideal para pôr fim aos conflitos no seio da família real. A posição é do ex-primeiro-ministro britânico John Major que espera que a vinda de Harry ao funeral do avô ajude a resolver os problemas deste com a família.

REUTERS/David Bebber BEB/ASA/CRB
John Major foi o guardião especial dos jovens príncipes William e Harry, depois da morte da mãe, em 1997, aguarda agora que os dois irmãos possam resolver as suas diferenças, aproveitando que se vão reencontrar num momento de dor.

Harry viajará dos EUA para Inglaterra pela primeira vez que abdicou do seu papel como membro sénior da família real, há um ano. O príncipe estará cara a cara com a restante família, pela primeira vez desde que foi transmitida a polémica entrevista dos duques de Sussex a Oprah Winfrey e onde surgiram acusações de racismo e de silenciamento de Meghan Markle por da família real.

John Major afirmou à BBC que "o atrito que nos dizem que surgiu é um atrito que é melhor ser encerrado o mais rapidamente possível". "Eles partilharam emoções, partilham dor neste momento por causa da morte do seu avô. Acho que esta é a oportunidade ideal. Desejo muito que seja possível ultrapassar quaisquer divisões que possam existir."

Entretanto, continuam as homenagens ao príncipe Filipe, marido de Isabel II, que morreu na sexta-feira, aos 99 anos. Este domingo o arcebispo de Cantuária, que também deve presidir ao funeral do duque de Edimburgo, celebrou uma missa onde estiveram presentes dois dos quatro filhos da rainha e do duque: André e Eduardo.

Os dois falaram durante durante a cerimónia religiosa para agradecer o apoio de todos os que trabalham no castelo de Windsor, especialmente durante os últimos anos. O príncipe André, que visitou a mãe no sábado, admitiu que a rainha descreveu a morte do marido como "tendo deixado um enorme vazio na sua vida".

O funeral de Filipe está marcado para sábado, dia 17, às 15h. As cerimónias serão transmitidas pela televisão e estarão presentes apenas 30 membros da família, conforme as regras impostas pela covid-19.
Artigos Relacionados