O inferno da morte de Valentina Bernardo

Foi após uma sessão de tortura com água quente na casa de banho, um aperto no pescoço e uma forte palmada na cabeça que a criança entrou em convulsão. O pai e a madrasta, em vez de chamarem socorro, deixaram-na no sofá.


O
 inferno de Valentina Sofia Teodoro Fonseca Bernardo, 9 anos, começou uma semana antes da sua morte – dia em que foi espancada e torturada pelo pai com a colaboração ativa da madrasta. De acordo com informações recolhidas pela SÁBADO, as agressões à menina de 9 anos tiveram início, na realidade, a 1 de maio por um motivo: Sandro Bernardo suspeitava que a filha estaria envolvida em atos sexuais com colegas da escola e era vítima de abusos por parte de um homem a quem tratava por "padrinho". E decidiu tirar tudo a limpo. À força.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais