93% das mortes por covid-19 em Portugal ocorreram em hospitais

C.A.C. 29 de abril de 2020

De acordo com a Graça Freitas, os números indicam ainda que 4% das mortes foram em lares e 3% em domicílio. "Todas as mortes são contabilizadas", assegurou.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, garantiu, esta quinta-feira, que "todas as mortes são contabilizadas", esclarecendo possíveis dúvidas sobre a contagem dos óbitos durante a pandemia de covid-19 em Portugal. As declarações foram feitas na habitual conferência de imprensa após a divulgação do boletim epidemiológico da Direção Geral da Saúde. 

"Independentemente do local de ocorrência do óbito, esse óbito é registado", assegurou Graça Freitas, acrescentando que os certificados de óbito são eletrónicos e, como tal, é fácil ter acesso aos mesmos. "Não estamos a deixar escapar ninguém cujo médico tenha escrito a palavra ‘covid’ no certificado de óbito", afiançou, explicando que, em Portugal, se vai mais longe que em outros países e são contadas as mortes com covid-19 mesmo que a infeção "não seja a razão final".

Segundo Graça Freitas, num ano normal, sem uma crise sanitária provocada pelo novo coronavírus, "cerca de um terço das pessoas morre fora do hospital". Esses números mudaram agora, revelou. Assim, "93% das mortes por Covid-19 ocorreram em meio hospitalar, 4% em lares e 3% em domícilio", disse.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais