O Europeu mais estranho: 11 anfitriões, a Covid, a Itália invencível – e Portugal e França a quererem repetir a história

O Europeu mais estranho: 11 anfitriões, a Covid, a Itália invencível – e Portugal e França a quererem repetir a história
Carlos Torres 11 de junho

Ia ser um torneio de festa, com 51 jogos espalhados por toda a Europa. Mas veio a Covid e tudo mudou. E dentro de campo? Portugal quer imitar a Espanha, a França quer imitar a França, e a Inglaterra quer deixar de ser a Inglaterra. Confuso? Venha daí conhecer o Euro 2020, que chega com um ano de atraso.

Em 2012, com a Europa a recuperar depois da crise de 2008, Michel Platini, na altura presidente da UEFA, quis fazer um Europeu especial em 2020. A ideia era celebrar os 60 anos da primeira edição do torneio, iniciado em 1960, na altura com apenas 17 equipas (Alemanha Ocidental, Itália e Inglaterra, por exemplo, não quiseram participar). As seleções foram disputando eliminatórias a duas mãos até se chegar às meias-finais, sendo então essa espécie de final-four disputada em Marselha e Paris. A URSS foi o primeiro vencedor, após derrotar na final a Jugoslávia.

Platini, cavalgando o boom económico e a expansão do turismo, referiu que seria fácil, na era das viagens low-cost, os adeptos da Europa do Sul ou do Norte poderem ir a Baku, a Bucareste ou a Skopje para apoiarem as suas seleções. Ia ser uma grande festa, com multidões de adeptos em convívio em vários países, previa o presidente da UEFA.

Só que o futuro nem sempre é como se prevê – ou deseja. A começar para o próprio Platini, que em maio de 2016 veria o Tribunal Arbitral do Desporto confirmar o seu afastamento de todas as atividades ligadas ao futebol por quatro anos, na sequência de suspeitas relacionadas com os 2 milhões de francos suíços que terá recebido de Joseph Blatter, e que ele não explicou devidamente. Depois, por causa da pandemia da Covid-19, que paralisou o mundo a partir de março de 2020 e levou ao adiamento de várias competições, como foi o Euro 2020, que passou para 2021, embora tenha mantido o nome.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui