Mundiais de Judo: Anri Egutidze conquista bronze nos 81 kg

Record 09 de junho
As mais lidas

Selado apuramento para os Jogos Olímpicos com medalha.

O judoca do Benfica, Anri Egutidze, conquistou a medalha de bronze na categoria de 81 kg do Mundial de Budapeste, após vencer, em duelo inédito, o uzbeque Sharofiddin Boltaboev (top 7 e com duas medalhas de prata e uma de bronze nos campeonatos asiáticos).

É o melhor resultado de sempre em Mundiais, após triunfo por ippon, do atleta da Seleção Nacional, 5.º no Europeu de Lisboa'2021, 21.º do ranking e virtualmente qualificado para a sua estreia em Jogos Olímpicos (Tóquio'2020).

Anri passou por dificuldades, após dois castigos para cada lado. O adversário ainda pontuou (wasari), mas o VAR retirou a vantagem. Já no Golden Score, Egutidze projetou.

Nas repescagens, Anri Egutidze já tinha ultrapassado o belga Sami Chouchi (top 15 do ranking internacional e vice-campeão europeu em Tel Aviv'2018), por desistência do adversário, que se lesionou.

Ainda antes, o luso-georgiano venceu quatro combates até encontrar nos quartos-de-final o holandês Frank De Wit, vice-campeão no Masters de Doha'2021 e top 5 do ranking internacional. De Wit, que tinha saldo empatado (1-1) no confronto direto, superiorizou-se, ao marcar wasari e estrangular (ippon) o luso-georgiano a 1,10 minutos do final.

Nas eliminatórias, Anri Egutidze , venceu no primeiro combate da última prova de qualificação um adversário que nunca tinha defrontado, o montenegrino Nebojsa Gardasevic (110.º), recorrendo ao Golden Score, onde marcou wasari ao cabo de 39 segundos do prolongamento.

Já na 2.ª ronda, Anri Egutidze (25 anos), único atleta da Seleção Nacional a atuar nesta 4.ª jornada, bateu o moldavo Nicon Zaborosciuc (81.º), com quem já tinha lutado três vezes, averbando duas derrotas (2015 e 2017), nos escalões jovens, e uma vitória (2018), no Grand Slam de Paris. O judoca dos encarnados dominou o combate, marcando wasari, para depois imobilizar (ippon) o adversário na luta do chão.

Na 3.ª ronda, Anri Egutidze teve pela frente o alemão Dominic Ressel (10.º), um adversário também conhecido, com quem já ganhara e perdera, respetivamente, nos Grand Prix de Dusseldorf (2017) e Zagreb (2018). Após muito equilíbrio, que resultou em dois castigos (shido) para cada lado, Anri Egutidze conseguiu responder a um contra-ataque e projetar (ippon, a 17 segundos do final) o germânico, vice-campeão europeu em Varsóvia'2017.

Após o duro combate, o atleta das quinas defrontou o espanhol Alfonso Urquiza (66.º), bem conhecido de Anri, com quem tinha saldo positivo de 5-1. O duelo ibérico foi de grande dificuldade para o atleta nacional, que ficou à beira da desclassificação após sofrer dois castigos. Urquiza fazia falsos ataques, mas o árbitro apenas penalizou o espanhol com um shido, até que, esgotados os quatro minutos do tempo regulamentar, Anri Egutidze voltou a demonstrar classe, projetando (ippon) o adversário.

Anri Egutidze em Mundiais
Budapeste'2021: 3.º lugar
Tóquio'2019: 17.º lugar
Baku'2018: 9.º lugar
Budapeste'2017: 17.º lugar

Anri Egutidze em Europeus
Lisboa'2021: 5.º lugar
Praga'2020: 17.º lugar
Minsk'2019: 9.º lugar
Tel Aviv'2018: 5.º lugar

Principais Medalhas
Grand Slam Brasília'2019: Bronze
Grand Prix Zagreb'2018: Bronze
Grand Prix Tbilissi'2018: Prata
Grand Prix Agadir'2018: Bronze
Europeu de juniores Málaga'2016: Prata
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais