Estilista croata cria máscaras em algodão para "colorir tempos stressantes"

Lusa 10 de março de 2020
As mais lidas

Zoran Aragovic diz que não quer "fazer negócio" com a epidemia, mas já vendeu 100 unidades nos últimos dias.

Numa altura em que o novo coronavírus se espalha na União Europeia (UE), o 'designer' croata Zoran Aragovic criou máscaras coloridas em algodão, de estilo 'pop art', para responder à "loucura" à volta do surto e "colorir tempos stressantes".

Foi "muito espontaneamente" que Zoran Aragovic, um 'designer' de moda de 39 anos, baseado em Zagreb, teve a ideia de criar máscaras de algodão que podem funcionar como um acessório de moda em plena altura de propagação do Covid-19 na UE.

"O alfaiate que trabalha para mim por vezes usa máscaras descartáveis e, numa manhã, comentava que era impossível comprar essas máscaras na farmácia porque estavam esgotadas. Foi então que decidi fazer uma máscara para mim em estilo de 'pop art' como reação a toda esta loucura à volta do vírus e publicá-la através de uma fotografia nas redes sociais", conta o estilista à agência Lusa, na capital croata.

Mas aquela que começou por ser uma brincadeira valeu a Zoran Aragovic e à sua marca BiteMyStyle "uma série de questões e pedidos" logo a seguir a essa publicação.

"Eu não pretendia vender as máscaras, mas após ter publicado a fotografia, há uma semana, decidi começar a fazê-lo por um preço de 70 kunas croatas" (cerca de 10 euros), explica à Lusa o 'designer' de moda.

Apesar de garantir não promover "ativamente" estas máscaras nem querer "fazer negócio" com a epidemia, já que o seu foco é criar roupas femininas, Zoran Aragovic indica ter vendido cerca de 100 unidades nos últimos dias.

"As máscaras são a minha reação à loucura à volta do vírus e, mesmo que o governo [croata] tenha deixado claro que as máscaras não garantem proteção, só quero tornar mais colorido este período stressante", reforça Zoran Aragovic.

Tendo como referência o 'pop art', movimento artístico da década de 1960, as máscaras criadas por este estilista croata apresentam tons garridos e vibrantes, traços de serigrafia e alusões à estética industrial e à banda desenhada, um pouco à semelhança dos coordenados que cria para mulher.

Como são feitas de algodão, as máscaras podem ser lavadas e reutilizadas.

"A minha recomendação é não as usar como forma de proteção contra o vírus, mas antes como uma declaração de moda", frisa o 'designer', precisando que os clientes as utilizam para combinar com peças de roupa do mesmo padrão ou para adornar um 'look' em viagem.

A falar com a Lusa poucos dias antes de apresentar a sua nova coleção para a próxima primavera/verão na maior semana de moda croata, a Bipa Fashion.hr, Zoran Aragovic admite que o surto de Covid-19 já teve impacto na sua vida profissional.

"Tive de adiar a viagem que tinha planeada para ir a Itália comprar novos tecidos", assinala.

Admitindo que haja "algum exagero" nas preocupações relativamente ao novo coronavírus, o estilista considera, ainda assim, "ser altura de ter o máximo de cuidado possível".

"Enfatizo sempre aos clientes que as máscaras são apenas um acessório de moda", adianta Zoran Aragovic.

O Covid-19, que pode provocar infeções respiratórias como pneumonia, já infetou mais de 100 mil pessoas em todo o mundo, tendo ainda causado mais de 3.800 mortes.

A Croácia é um dos Estados-membros da UE menos afetados, com menos de 20 casos.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais