Quem são as mulheres e os filhos da jihad

Quem são as mulheres e os filhos da jihad
Nuno Tiago Pinto 27 de outubro de 2018

As autoridades identificaram oito raparigas que viajaram para a Síria com os portugueses do Estado Islâmico. Algumas levaram as crianças nascidas em Portugal, no Reino Unido e na Tanzânia – ao todo estão sinalizadas 15 menores. Sem contar com as luso-descendentes e os seus filhos.

Chamam-se Fatuma, Seri, Reema, Sabina, Mayibongwe, Zara, Ruzina e Ângela. Nasceram em locais tão diferentes como Tanzânia, Indonésia, Reino Unido, Alemanha, Zimbabwe e Holanda. Têm actualmente entre 23 e 30 anos e em comum o facto de terem casado – em cerimónia civil ou apenas religiosa – com um dos portugueses que se juntaram ao autoproclamado Estado Islâmico (EI): os irmãos Celso e Edgar Rodrigues da Costa, Fábio Poças, Sandro Marques e Sadjo Turé. Todas elas, bem como as 15 crianças que nasceram dessas relações, foram identificadas pelas forças e pelos serviços de segurança portugueses devido a uma possibilidade cada vez mais real: o seu regresso à Europa e a Portugal, onde as famílias dos respectivos maridos estarão dispostas a acolhê-las.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais