Governo critica PSP e ANPC sobre incêndio em Pedrógão Grande

Governo critica PSP e ANPC sobre incêndio em Pedrógão Grande
Leonor Riso 28 de junho de 2017

A Polícia não avisou a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna que a estação móvel estava em revisão. Protecção Civil não a solicitou em tempo útil


A Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna sustenta que a Protecção Civil devia ter pedido uma estação móvel do sistema de comunicações SIRESP quando entendeu que "a situação estava a tornar-se excepcional", e que a PSP deveria ter avisado que a sua estação móvel estava numa oficina. 

Num relatório sobre o incêndio de Pedrógão Grande e a rede SIRESP, assinado pelo secretário-geral adjunto Francisco Gomes, lê-se: "A ANPC (Autoridade Nacional de Protecção Civil) ao verificar que a situação estava a tornar-se excepcional requisitando mais meios de combate ao incêndio, deveria também em simultâneo ter solicitado preventivamente a mobilização da estação móvel em tempo útil, mesmo antes de alguma estação rádio fixa se encontrar em modo local", indica a Secretaria-Geral.

O pedido para activar a estação móvel (ou EM, uma base auto transportada com ligações satélite que permite a conexão com a rede SIRESP) foi recebido às 21h15, mas não partiu da Protecção Civil: veio do chefe de gabinete do secretário-geral da Administração Interna. 14 minutos depois, a ANPC também a pediu. Até aí, não houve relato de dificuldades nas comunicações junto do Centro de Operações e Gestão (COG) da SGMAI.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais