Sinalizadas 42 pessoas com necessidade de acompanhamento psicológico

Cátia Andrea Costa 27 de junho de 2017

Seis situações "foram consideradas de emergência e encaminhadas para os serviços de urgência dos serviços psiquiátricos do Hospital de Coimbra

O INEM sinalizou 42 pessoas com necessidade de "acompanhamento e de reavaliação", por estarem num "processo de luto", em que perderam familiares ou casas na sequência do incêndio em Pedrógão Grande que provocou 64 mortos. Destas 42 pessoas, explicou à Lusa, a coordenadora do Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise (CAPIC), Sónia Cunha, foram identificados seis casos "com sinais de risco".

Segundo a responsável, estas situações mais graves e complexas "foram consideradas de emergência e encaminhadas para os serviços de urgência dos serviços psiquiátricos dos CHUC [Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra]".

Sónia Cunha esteve a coordenar uma equipa de cerca de 60 psicólogos de diferentes instituições que estiveram a garantir a resposta de emergência até quinta-feira. Segundo a especialista, os casos foram sendo identificados ao longo da semana passada, tendo sido feitos contactos de monitorização para avaliar "a evolução das reacções", para saber se estas se intensificaram ou diminuíram. Este 'follow up' "dá sinais de que a pessoa pode vir a desenvolver uma patologia e que tem de ser referenciado", explicou.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais