Empresa de Luís Filipe Vieira deixa calote de 54 milhões no Novo Banco

Empresa de Luís Filipe Vieira deixa calote de 54 milhões no Novo Banco
Bruno Faria Lopes 01 de agosto de 2019

A dívida da holding Imosteps, que está a ser vendida a um fundo-abutre, ficou fora do acordo de reestruturação assinado em 2017 com o banco. A sua história retrata uma era recente.

Foi em 2016 que Luís Filipe Vieira e o Novo Banco começaram a falar sobre o que fazer à dívida da Promovalor de Vieira. Depois de negociações difíceis, que duraram um ano e meio, o presidente do Benfica e o Novo Banco chegaram a um acordo que implicou um reforço real de garantias e foi assinado no final de 2017. Mas o acordo deixou uma ponta de fora: a Imosteps – Promoção Imobiliária S.A., uma empresa gestora de participações sociais com uma dívida de 54,3 milhões de euros, toda em incumprimento, de que Vieira é acionista e presidente.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais