DIAP só tem sete funcionários dedicados ao combate à violência doméstica

DIAP só tem sete funcionários dedicados ao combate à violência doméstica
SÁBADO 17 de novembro de 2019

Funcionários da 7ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal estão à “beira do colapso físico e mental”, devido ao excesso de trabalho.

"Qualquer dia há uma desgraça e os funcionários é que vão pagar. Estão à beira do colapso, mental e físico", disse ao Correio da Manhã António Marçal, secretário-geral do Sindicato dos Funcionários Judiciais, sobre o ambiente que se vive na 7ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, unidade do Ministério Público especializada no combate à violência doméstica, abusos sexuais e maus-tratos a crianças no âmbito familiar, que tem mais de 1400 processos pendentes, todos urgentes, e conta apenas com sete funcionários judiciais. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais