Covid-19 usada em guerra socialista

Covid-19 usada em guerra socialista
Margarida Davim 13 de julho de 2020

Há nervosismo no partido e no Governo. Ideia de crise política agita lutas internas para o futuro no pós-costismo.

Com a pandemia de Covid-19 longe de estar controlada em Lisboa, os ânimos exaltaram-se no PS. Nas cúpulas do partido sabe-se que os custos económicos do vírus não tardarão a traduzir-se em custos políticos e isso gerou nervosismo e a ideia de que o Governo pode mesmo não resistir até ao fim da legislatura. O fantasma de uma crise política fez mexer as peças no tabuleiro socialista e ajudam a explicar o ataque de Fernando Medina ao combate à pandemia.

"Quando as faturas do lay-off, da TAP, da Efacec e do desemprego começarem a chegar, a coisa vai apertar", nota à SÁBADO uma fonte da direção socialista, lembrando que o voto contra do PCP no Orçamento Suplementar foi visto como a morte da geringonça.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais