Câmaras distribuem dinheiro pelas novelas de TV e até pelo Governo Sombra

Marco Alves , Maria Henrique Espada 20 de janeiro de 2020

Uma novela da SIC recebeu 1,3 milhões dos contribuintes; Nazaré outros 150 mil euros. O Somos Portugal da TVI dá a volta ao país sempre patrocinado pelo município anfitrião. E até o Governo Sombra faz presenças.

No dia 4 de outubro, a Câmara Municipal de Leiria assinou e publicou in extremis no portal dos ajustes diretos o contrato com a produtora SP televisão para a "promoção da marca Leiria", no valor de 100 mil euros. Na prática, trata-se da produção da telenovela Nazaré, da SIC, em que Leiria surge como cenário. O termo in extremis tem duas razões: a publicação do contrato, potencialmente polémico (até porque um apoio do mesmo género da Ordem dos Enfermeiros gerou controvérsia), aconteceu na última sexta-feira antes das eleições legislativas em que o ex-presidente da autarquia, Raul Castro, era cabeça de lista pelo PS.

Mas, sobretudo, a data é estranha tendo em conta que em abril já havia cortes de trânsito em Leiria para as filmagens, e porque o próprio contrato estabelece que 50% do valor deveria ser pago assim que fosse comunicado pela SP "o início da emissão da novela, previsto para setembro de 2019". Ora, a estreia ocorreu de facto a 9 de setembro, tendo sido emitidas cenas passadas em Leiria. Ou seja, o contrato é assinado estabelecendo uma espécie de pagamento retroativo.

A SÁBADO questionou, por email, o atual presidente da autarquia, Gonçalo Lopes, que assinou o contrato (o antecessor suspendeu o mandato a 26 de agosto por imperativo legal e renunciou após a eleição como deputado, no dia 6), em concreto, sobre porque é que o mesmo não foi feito antes, sendo por demais evidente que o acordo entre as partes existia - pelo menos desde abril. O autarca respondeu que "por questões de procedimentos internos e mudanças no órgão executivo [que aconteceu em final de agosto], só foi possível celebrar o contrato naquela data". Esclareceu ainda que "até à presente data não foi efetuado qualquer pagamento, uma vez que não foi recebida qualquer fatura da entidade".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais