Assembleia aprova voto de pesar pela morte de Manuel Reis

Lusa 29 de março de 2018
As mais lidas

A Assembleia da República aprovou, por unanimidade, um voto de pesar e cumpriu um minuto de silêncio pela morte de Manuel Reis, fundador do Lux-Frágil.



Manuel Reis morreu no domingo, em Lisboa, aos 71 anos, vítima de doença prolongada.

No voto de pesar apresentado pelo PS e subscrito por deputados de vários partidos, o empresário é recordado como uma "figura ímpar da vida cultural e cívica de Lisboa e do país, criador e dinamizador de projectos que abriram os horizontes da cidade e a marcaram de forma singular".

O documento refere que Manuel Reis nasceu no Algarve e "transformou as noites de Lisboa, primeiro nos anos 80, com o icónico Frágil, no Bairro Alto, e, mais tarde, com o Lux-Frágil, contribuindo para a recuperação da zona ribeirinha da cidade".

"A sua visão e arrojo marcaram a recuperação do Bairro Alto, bem como uma geração de jovens estudantes e artistas que encontraram no Frágil um lugar de liberdade, de criação e divulgação do seu trabalho. Os espaços nocturnos dinamizados por Manuel Reis afirmaram-se como marcos culturais da cidade de Lisboa que deixaram uma marca em várias gerações", lê-se no texto.

Manuel Reis iniciou-se como antiquário, no Bairro Alto, em Lisboa, e inaugurou, em 1982, a discoteca Frágil e o restaurante Pap'Açorda, ambos no Bairro Alto. Em 1998, abriu portas a discoteca Lux-Frágil, em Santa Apolónia, junto ao rio Tejo.

Rive-Rouge, no mercado da Ribeira, ao Cais do Sodré, foi o último espaço que inaugurou, em 2016.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais