As escutas, os encontros e o dinheiro que tramaram Rui Rangel

As escutas, os encontros e o dinheiro que tramaram Rui Rangel
Carlos Rodrigues Lima 24 de setembro de 2020

Relatório final da Polícia Judiciária revela todos os pormenores da investigação da Operação Lex, que começou em 2015, com o ex-juiz desembargador e José Veiga fotografados à porta do HoltelRitx, em Lisboa


Só alguns anos mais tarde é que João Vieira Pinto terá percebido a descontração do empresário José Veiga, durante o julgamento em primeira instância do processo em que ammbos foram acusados, em 2011, de fraude fiscal e branqueamento de capitais devido à transferência do então Internacional A do Benfica para o Sporting. Ouvido pela Polícia Judiciária como assistente na Operação Lex, o agora diretor na Federação Portuguesa de Futebol, recordou que durante uma das sessões do julgamento, José Veiga "lhe deu uma palmada nas costas e disse: ‘Está descansado que ainda vamos ser todos absolvidos". A profecia cumpriu-se, mas só em relação ao ex-empresário de jogadores de futebol, porque o futebolista acabaria condenado no Tribunal de Relação de Lisboa, que apenas lhe subtraiu o crime de branqueamento de capitais.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais