PCP não deixa cair professores... e apresenta caderno de encargos para o OE

PCP não deixa cair professores... e apresenta caderno de encargos para o OE
Margarida Davim 30 de outubro de 2018

O PCP insiste na contagem integral do tempo congelado aos professores e promete levar o tema ao debate do Orçamento na especialidade. Mas essa não é a única reivindicação para a fase que agora se inicia.

Jerónimo de Sousa deixou hoje claras as prioridades do PCP na discussão do Orçamento do Estado para 2019 na especialidade. E não se esqueceu da luta dos professores pela contagem integral do tempo de serviço congelado nos últimos nove anos.

O líder do PCP defende que a discussão na especialidade "é a oportunidade de dar mais um passo em frente" em matérias como o aumento dos funcionários públicos e a contagem do tempo de serviço dos professores.

"Um passo mais à frente que não deixe esquecer também os compromissos assumidos pelo Governo em relação aos direitos legítimos à contagem integral do tempo de serviço  dos professores, dos militares, dos profissionais dos serviços e forças de segurança, entre outros profissionais, nomeadamente da área da Justiça", vincou Jerónimo.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais