Vitamina D: A vitamina da discórdia

Vitamina D: A vitamina da discórdia
Lucília Galha 31 de março

O que é? Para que serve? A população portuguesa tem défice? Qual é o seu papel na covid-19? A SÁBADO preparou um conjunto de respostas a todas estas questões, mas nem toda a informação é concordante.

Uma coisa é certa: a vitamina D é um assunto que divide os próprios profissionais de saúde. Não há propriamente dois lados da questão, ou seja, quem defenda que é importante e quem a demonize. A discussão é mais sobre o seu papel, a necessidade de fazer suplementação e, mais recentemente, sobre a relação com a própria covid-19. A SÁBADO ouviu dois especialistas – o médico de medicina geral e familiar, João Júlio Cerqueira, e a professora de Nutrição e Metabolismo da Nova Medical School, Conceição Calhau – e tentou sintetizar num explicador toda a informação, que nem sempre é concordante. Para o médico João Júlio Cerqueira, a vitamina D "é o santo Graal dos mitos" e a deficiência desta vitamina poderá ser apenas um marcador de falta de saúde e sua suplementação não resolver as razões inerentes a essa condição. Já Conceição Calhau considera que "há muita resistência para as pessoas compreenderem o quanto a deficiência de vitamina D está relacionada com a doença". 

O que é a vitamina D?
Não é bem uma vitamina, na verdade, trata-se de uma hormona que regula funções múltiplas no organismo, assim como o próprio metabolismo energético (o conjunto de reações químicas que produzem a energia necessária para a realização das funções vitais dos seres vivos).  

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais