O Natal recheado dos polícias sinaleiros

O Natal recheado dos polícias sinaleiros
Susana Lúcio 25 de dezembro de 2017

Bacalhau para o sinaleiro... mas também vinho do Porto, bezerros e até frigoríficos. Era isto que os polícias de trânsito recebiam no Natal. Era

Afesta começava de manhã cedo, no dia 23 de Dezembro. Primeiro, eram montados pinheiros enfeitados com fitas douradas e iluminação eléctrica junto aos postos dos polícias sinaleiros. Em Lisboa, as peanhas (bases em que o agente se empoleirava) escolhidas eram as da Praça dos Restauradores, do cruzamento da Rua Garrett e Rua do Carmo, do Rossio e da Avenida da Liberdade.

Depois, eram distribuídas as ofertas, que se acumulavam em monte junto aos sinaleiros. As pessoas juntavam-se para observar. Havia bacalhau, vinho do Porto, bolachas, arroz, açúcar, batatas, carvão, tabaco e botas. Às vezes, surgiam dádivas surpreendentes: um frigorífico, um bezerro, uma cama com colchão e até um automóvel.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais