Encontrado alpinista desaparecido, mas ator Julian Sands continua por localizar

Encontrado alpinista desaparecido, mas ator Julian Sands continua por localizar
Márcia Sobral 25 de janeiro
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 2 a 8 de fevereiro
As mais lidas

O artista britânico de 65 anos, desapareceu há duas semanas depois de ter ido caminhar para o Monte Baldy.

Um homem de 75 anos foi resgatado com vida, esta terça-feira, depois de ter sido dado como desaparecido enquanto caminhava no Monte Baldy, Califórnia. Jin Chung foi o segundo alpinista a perder-se naquelas montanhas este ano, sendo que o primeiro foi o ator Julian Sands.

REUTERS/Piroschka van de Wouw
"As autoridades estão a terminar a segunda semana de buscas. Até agora, o alpinista Julian Sands ainda não foi encontrado e não temos qualquer evidência da sua localização atual. As buscas continuarão, assim que as condições do tempo e do terreno o permitam", disseram as autoridades em comunicado de imprensa.

A 13 de janeiro, o artista de 65 anos terá ido caminhar para a área de Baldy Bowl, num dia de mau tempo e não regressou a casa. O alerta foi dado já de noite e as autoridades iniciaram a operação de buscas e salvamento porém, depararam-se com algumas dificuldades. Os meios terrestres tiveram de ser suspensos devido ao risco de avalanche e às perigosas condições dos trilhos, continuando a procura apenas com recurso a helicópteros e drones.

Ao décimo segundo dia, os familiares do ator pronunciaram-se e, através de um comunicado, disseram estar "profundamente emocionados com todo o amor e apoio" e agradeceram os "heróicos esforços" feitos por todos os envolvidos nas buscas para "trazer o Julian para casa".

Já Nick Sands, um dos seus irmãos, deu uma entrevista ao jornal Yorkshire Telegraph & Argus, onde descreveu Julian como "alpinista extremamente experiente e resiliente". Recordou ainda que, no ano passado, o ator tinha percorrido o Pennine Way – um trilho conhecido que se localiza em Inglaterra passando pela Escócia - fazendo "uma média de 48 quilómetros por dia e acampando durante a noite".

"Ele ainda não foi dado como morto mas eu sei, no meu coração, que ele se foi. Ele costumava dizer que nunca tirava férias, que apenas descansava ocasionalmente, acho que ele agora está a descansar no sítio que mais gostava. No entanto, sendo a rivalidade entre irmãos o que é, seria típico dele sair de lá e provar que eu estou errado."

Entre 2017 e 2022, as equipas de resgate realizaram 233 missões no Monte Baldy e contabilizaram pelo menos oito mortes. Uma vez que a Califórnia continua a lidar com o mau tempo, as autoridades já recomendaram que "os caminhantes evitem áreas montanhosas perigosas".

"Muitos caminhantes, tanto os experientes como os iniciantes, subestimam o terreno íngreme, o clima imprevisível e os ventos fortes que se fazem sentir nas áreas montanhosas. A exposição a estes elementos e o risco de queda contribuem para a crescente taxa de mortalidade do Monte Baldy e o risco de avalanches torna difíceis os trabalhos de resgate", esclareceram as autoridades.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais