Superliga: Clubes ingleses fazem "contribuição" de 25 ME e aprovam castigos futuros

Lusa 09 de junho
As mais lidas

Além dessa contribuição, todos os seis clubes concordaram apoiar a implementação de novas regras no futebol inglês, com qualquer ação semelhante à criação de uma prova como a Superliga europeia a resultar numa dedução de 30 pontos e em multas que podem chegar aos 25 milhões de libras (cerca de 29 milhões de euros).

Os clubes ingleses envolvidos na Superliga europeia vão fazer uma "contribuição conjunta" de 22 milhões de libras (cerca de 25 milhões de euros) para ajudar o futebol no país, anunciaram esta quarta-feira a federação (FA) e a liga inglesas de futebol.

REUTERS/Dado Ruvic/Illustration
Num comunicado conjunto, a FA e a Premier League explicaram que Arsenal, Chelsea, Liverpool, Tottenham, Manchester City e Manchester United voltaram a "pedir desculpa" pela sua intervenção no projeto que visava uma nova competição na Europa, à parte das ligas e da UEFA.

"Os seis clubes envolvidos nas propostas para formar uma Superliga europeia reconheceram hoje mais uma vez que suas ações foram um erro e reafirmaram o seu compromisso com a Premier League e o futuro do futebol inglês. Como um gesto de boa vontade, os clubes concordaram coletivamente em fazer uma contribuição de 22 milhões de libras, que irá para o bem do jogo, incluindo novos investimentos em apoio aos adeptos, futebol de formação e programas comunitários", lê-se no comunicado.

Além dessa contribuição, todos os seis clubes concordaram apoiar a implementação de novas regras no futebol inglês, com qualquer ação semelhante à criação de uma prova como a Superliga europeia a resultar numa dedução de 30 pontos e em multas que podem chegar aos 25 milhões de libras (cerca de 29 milhões de euros).

Atlético Madrid, Barcelona, Real Madrid, Juventus, AC Milan e Inter Milão são os outros clubes europeus que estavam incluídos na criação da nova competição, que acabou por não ir em frente devido a críticas das UEFA, federações, adeptos e até alguns governos dos próprios países.