Renda fictícia trama ex-patrão de Sócrates

SÁBADO 15 de setembro de 2019

Empresa de Lalanda de Castro, ex-administrador da Octapharma, foi constituída arguida no caso Máfia do Sangue. Ministério Público diz que Cunha Ribeiro, gestor público da Saúde, usou casa de luxo da Convida sem pagar renda.

O caso Máfia de Sangue tem um novo arguido: a Convida, empresa ligada a Paulo Lalanda e Castro, ex-patrão de Sócrates na multinacional farmacêutica Octapharma. O Ministério Público suspeita de que Lalanda e Castro terá cedido a Luís Cunha Ribeiro, gestor público da Saúde, o uso gratuito de uma casa de luxo em Lisboa, no mesmo prédio onde Sócrates teve um apartamento, em troca de alegados favores em concursos na área do sangue.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais