Quem é a mulher que não quer ser primeira-dama?

Vítor Matos 09 de março de 2016

Rita Amaral Cabral prefere a sombra dos bastidores à luz que incide em Marcelo Rebelo de Sousa. Discreta, mal se vê mas é a pessoa que maior influência tem sobre ele


F
ilme a preto e branco: anos pré-revolucionários. Marcelo Rebelo de Sousa era assistente de Direito Internacional Público, na Faculdade de Direito de Lisboa (FDL), quando pela frente lhe apareceu uma estudante chamada Rita Amaral Cabral. A jovem tinha obtido apenas 11 valores na prova escrita e queria melhorar a nota em exame oral. Alegava que a correcção da frequência estava errada, porque tinha citado a posição do regente da cadeira, o professor André Gonçalves Pereira. Como, porém, o assistente Rebelo de Sousa tinha uma opinião diferente sobre a mesma matéria, por mera teimosia manteve-lhe o 11. Mau começo. Mas havia de piorar…

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais