Covid-19. Centros vão ter capacidade para vacinar 50 pessoas por hora

Jornal de Negócios 03 de março de 2021
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 20 a 26 de janeiro
As mais lidas

Recomendações de referência da DGS apontam para que um enfermeiro possa vacinar uma pessoa a cada período de seis a dez minutos quando avançar a vacinação em massa da população. Autoridade de saúde definiu as características que devem ter os centros de vacinação.

Cada Centro de vacinação covid-19  (CVC) deverá ser constituído por um ou mais módulos de vacinação, cada um com cinco postos de vacinação e outros tantos enfermeiros, tendo capacidade para vacinar cerca de 50 pessoas por hora, ou seja, uma administração por enfermeiro a cada 6 a 10 minutos. 

A recomendação é da Direção-Geral da Saúde (DGS) e consta de uma orientação publicada esta terça-feira sobre a forma como devem funcionar os CVC destinados à vacinação em massa da população. 

Os CVC poderão resultar da adaptação dos pontos de vacinação já existentes no Serviço Nacional de Saúde ou de infraestruturas próprias ou adaptadas especificamente para o efeito, desde que cumpram um conjunto de requisitos técnicos também definidos na mesma orientação da DGS: a existência de uma rede de frio adequada; profissionais de saúde com treino e formação para a vacinação e para a atuação em caso de reações anafiláticas; e equipamento e medicamentos para o tratamento de reações anafiláticas.

A coordenação caberá aos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) e Unidades Locais de Saúde (ULS), em articulação com as Autoridades de Saúde Locais, as autarquias e demais parceiros locais.

OS CVC, impõe a DGS, deverão ter sempre um local de espera pós-vacinação, que permitam a permanência simultânea dos utentes já vacinados e em vigilância, por 30 minutos, mantendo o distanciamento físico e que deverão ter saída direta para o exterior. Deverá ainda existir uma sala de emergência, para eventuais casos de reações inesperadas à vacina. 

Além dos centros de saúde, as autarquias estão a preparar espaços alternativos para a administração das vacinas. Lisboa, por exemplo, vai ter sete espaços e um dos locais já confirmado é o Pavilhão Altice Arena, sendo que os restantes ainda não são conhecidos. 

No Porto, a câmara municipal já disponibilizou uma escola (António Aroso) e uma tenda para recobro e prepara também outros espaços alternativos para quando houver doses de vacinas em número suficiente para arrancar com a vacinação em massa.


Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Investigação
Opinião Ver mais