António Costa: "É em abril que se conquistam as liberdades para a vida"

C.A.C. 15 de abril de 2020

Primeiro-ministro diz que, apesar de não haver vacina prevista até ao verão do ano que vem, tal não vai significar que os portugueses ficarão em casa até lá. Mas recorda: "cada vez que tirarmos uma medida temos de garantir que não há descontrolo".

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu, esta quarta-feira, a necessidade de se continuar "a fazer um grande esforço em abril para recuperar a liberdade em maio". Momentos depois de uma declaração do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, à saída da reunião no Infarmed sobre a pandemia de covid-19 em Portugal, o chefe de Governo apelou à precaução na leitura dos dados atuais.

"Os dados que temos vindo a ter consolidados apontam para que as medidas adoptadas têm estado a dar resultado, temos de prosseguir este objetivo, portanto temos de continuar a fazer um grande esforço em abril para recuperar a liberdade em maio", disse aos jornalistas. "Temos de aguardar sem ansiedades pelo final do mês para vermos qual é a avaliação que se faz", explicou, com uma ideia sempre reforçada: "É em abril que se conquistam as liberdades para a vida."

"Temos de conviver de forma socialmente aceitável com o novo coronavírus", defendeu, tal como Marcelo Rebelo de Sousa, sublinhando que, apesar de não haver vacina prevista até ao verão do ano que vem, tal não vai significar que os portugueses ficarão em casa até lá. Porém, recordou: "cada vez que tirarmos uma medida temos de garantir que não há descontrolo".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais