A guerra dos milhões da Venezuela no Novo Banco

A guerra dos milhões da Venezuela no Novo Banco
Margarida Davim 30 de setembro de 2021

Banco de fomento venezuelano está desde julho a tentar desbloquear cerca de 10 milhões de euros para comprar vacinas e equipamentos médicos. Mas o Novo Banco não deu ainda sequer resposta aos pedidos de Caracas.

A carta, datada de 15 de setembro, a que a SÁBADO teve acesso revela a impaciência dos responsáveis pelo Banco de Desarollo Económico y Social de Venezula (Bandes) perante a falta de resposta do Novo Banco. Na missiva endereçada a António Ramalho, o presidente do Bandes tenta saber se a administração do banco já deu conhecimento ao juiz responsável pelo processo n.º 1128/19.3TELSB da ordem de transferência para a Organização Pan-Americana de Saúde. É que desde 6 de julho que o tribunal decidiu que as contas da Venezula em Portugal podem ser movimentadas, depois de autorização expressa do juiz sobre cada movimento.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais