Rússia altera constituição para manter Putin no poder até 2036

Lusa 02 de julho de 2020
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 9 a 15 de junho
As mais lidas

A revisão constitucional russa foi aprovada em referendo por 77,92% dos eleitores, depois de ter sido adiada em abril por causa da pandemia do novo coranavírus. 

A revisão constitucional russa que permite a Putin manter-se no poder até 2036 foi aprovada por 77,92% dos eleitores, de acordo com resultados oficiais do referendo divulgados hoje e que são contestados pela oposição.

Os resultados oficiais da consulta popular indicam que a participação foi de 65% e que 21,27% dos eleitores votaram contra a revisão da Constituição.

O referendo na Rússia esteve marcado inicialmente para abril mas foi adiado por causa da pandemia do novo coranavírus. 

A consulta realizou-se durante a última semana tendo os eleitores que usar máscaras de proteção sanitária e luvas para exercer o direito de voto.

Apesar da realização do referendo, a reforma constitucional já tinha sido aprovada pelos deputados no princípio do ano e o novo texto da Constituição até já se encontra à venda nas livrarias russas desde o primeiro trimestre do ano. 

O oposicionista russo Aexei Navalny considerou a votação como "uma grande mentira" e apelou à mobilização eleitoral da oposição nas próximas regionais marcadas para setembro. 

Uma das emendas mais controversas permite a Vladimir Putin a possibilidade de mais dois mandatos presidenciais além do atual que termina no ano de 2024.

Desta forma, Putin pode manter-se no Kremlin até 2036, ano em que cumpre 84 anos de idade. 

A revisão da Constituição introduz também medidas conservadores defendidas pelo presidente como "a fé em deus, o casamento apenas entre casais heterossexuais e deveres patrióticos.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais