Rajoy "fará tudo o que for preciso" para evitar independência. Até activar "a bomba atómica"

Cátia Andrea Costa 09 de outubro de 2017

O presidente do governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, poderá declarar unilateralmente a independência da Catalunha esta terça-feira.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, está irredutível: a independência da Catalunha não vai tornar-se real. O aviso foi dado esta segunda-feira, véspera do plenário do parlamento regional catalão na qual poderá ser declarada a independência região.

"Vamos impedir a independência da Catalunha. Tomaremos as medidas que forem necessárias para o impedir. A separação da Catalunha não vai acontecer. O Governo fará tudo o que for preciso para que assim seja", foram as palavras de Rajoy, tal como relatou aos jornalistas o porta-voz do PP, Pablo Casado.

"O presidente Rajoy disse-nos que vai fazer tudo o que for necessário, sem renunciar a nenhum instrumento previsto na Constituição e no Código Penal e que será suficiente. Se fizerem aquilo que ninguém quer [a declaração de independência], a resposta terá mão firme, sem complexos", explicou Casado, naquele que parece ser um tom mais duro da parte do Governo espanhol.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais