O crime que originou os protestos em Hong Kong

O crime que originou os protestos em Hong Kong
Diogo Camilo 21 de agosto de 2019

Chan Tong-kai matou a namorada grávida durante uma viagem a Taiwan. A impossibilidade de ser extraditado levou a tentativa de alteração da lei: penas seriam cumpridas na China, onde há pena de morte. Protestos contra a alteração geraram manifestações pró-democracia.

A 8 de fevereiro de 2018, um casal viajou de Hong Kong até Taiwan, para umas férias de nove dias na capital, Taipei. Mas, a 17 de fevereiro, apenas um regressou. Chan Tong-kai, de 20 anos, matou a namorada, Poon Hiu-wing, durante a viagem e voltou a Hong Kong como se nada tivesse acontecido.

O corpo da mulher, que estava grávida na altura do homicídio, foi encontrado dentro de uma mala de viagem. Um mês depois, o namorado admitiu ter cometido o crime mas o caso ficou numa encruzilhada: o crime foi cometido em Taiwan, por isso ele não pode ser julgado em Hong Kong; mas também não pode ser extraditado para Taiwan para ser julgado no país, por não existir um acordo que permita a extradição, dadas as más relações entre Taiwan e China.

No fim, Chan Tong-kai foi sentenciado a 29 meses de prisão por um crime menor, ter roubado dinheiro da namorada morta. Mas a pena pode ser reduzida e o jovem pode ser libertado já no próximo mês de outubro.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais