Funcionário do consulado britânico em Hong Kong detido na China

Cátia Andrea Costa 21 de agosto de 2019

Simon Cheng Man-kit foi condenado a 15 dias de prisão administrativa em Shenzhen por "violar a lei da segurança pública", mas Pequim não dá mais detalhes sobre a detenção.

A China anunciou, esta quarta-feira, que um funcionário do consulado britânico em Hong Kong foi condenado a 15 dias de prisão administrativa na cidade chinesa de Shenzhen, acusado de "violar a lei da segurança pública". A confirmação surgiu depois do ministério britânico dos Negócios Estrangeiros dizer que estava "extremamente preocupado" com o desaparecimento do funcionário durante uma viagem à China continental.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês Geng Shuang não deu mais detalhes sobre o motivo da detenção. "Não se trata de um cidadão britânico. É uma pessoa de nacionalidade chinesa, portanto, trata-se absolutamente de um assunto interno da China", disse Geng, que deixou ainda um recado ao Reino Unido: "parem de agitar as águas" e de interferir nas questões internas de Pequim. Já a polícia de Shenzhen não comentou publicamente o caso.

"Perturbar a ordem pública" ou "ameaçar a segurança nacional" são acusações frequentemente usadas contra dissidentes e ativistas políticos no país asiático, e que podem resultar em duras penas de prisão.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais