Nobel da Química garante que coronavírus não será tão fatal

Nobel da Química garante que coronavírus não será tão fatal
Diogo Barreto 24 de março de 2020

Michael Levitt previu quando o surto iria abrandar na China e diz que a crise não será tão longa ou devastadora como se tem falado. "Precisamos de controlar o pânico."

Michael Levitt é um biofísico da universidade de Stanford, nos EUA, e recebeu o prémio Nobel da Química em 2013. Na opinião do cientista o surto de Covid-19 não terá efeitos tão devastadores na sociedade e o que é preciso é "controlar o pânico", porque tem uma certeza: "Nós vamos ficar bem".

Em janeiro Levitt calculou que a China saíria do surto em fevereiro e que em março já estaria com a economia a recuperar. Dados publicados esta segunda-feira pela empresa de créditos e seguros Euler Hermes anunciavam que a economia chinesa já estava a operar a 75% da sua capacidade, valor que aponta para um retorno gradual à normalidade que deve estar completo até ao final de abril.

Levitt prevê que, tal como aconteceu com a China, os EUA e o resto do mundo ocidental vão sair muito mais rapidamente desta crise do que os restantes investigadores têm afirmado.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais